terça-feira, 21 de junho de 2016

PM Mineira Prende repórter de Rádio.

Polícia Militar prende repórter da rádio Inconfidência que cobria desocupação em Belo Horizonte


A repórter da Rádio Inconfidência Verônica Pimenta foi presa nesta segunda-feira (20) pela Polícia Militar em Belo Horizonte quando cobria a retirada de moradores de área ocupada no bairro Copacabana, em Venda Nova, região norte da capital mineira.


Verônica, que também é diretora do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, fazia entrevistas no início da manhã quando policiais se aproximaram e disseram que a repórter não poderia ficar no local. A jornalista tentou argumentar. Nesse momento, quatro PMs desligaram seu microfone e a levaram para a delegacia regional, onde foi ouvida. Verônica foi liberada à tarde, após prestar depoimento, e teve aberto processo por desobediência, conforme informações do presidente do sindicato, Kerison Lopes.

Em entrevista à Rádio Itatiaia, a repórter afirmou ter dito aos policiais não saber que a área era restrita e que sairia assim que terminasse as gravações, mas, segundo ela, os policiais foram muito agressivos e lhe deram voz de prisão.

Em nota, a Rádio Inconfidência, que é estatal, afirmou ser "solidária à repórter Verônica Pimenta, jornalista experiente, competente e comprometida com a profissão como prova diariamente nestes 11 anos de serviços prestados à emissora. Ressaltamos ainda que a Rádio Inconfidência repudia qualquer ato de arbitrariedade e cerceamento do direito de liberdade de informação. Informamos também que o departamento jurídico da Rádio Inconfidência está acompanhando todo o processo e vai tomar as providências cabíveis".

Para o presidente do sindicato dos jornalistas, o episódio não pode ser tratado de forma isolada. "Mais uma vez a Polícia Militar de Minas Gerais impede o trabalho da imprensa do Estado. Continua atuando fora da lei. É um absurdo o que estão fazendo".

Lopes citou como outros exemplos da atuação da PM em Minas os casos de dois repórteres do jornal O Tempo atingidos por balas de borracha durante cobertura de protesto contra o aumento de passagens no ano passado, e a tentativa de intimidação feita por cerca de cem policiais do Batalhão de Choque contra jornalistas da TV Alterosa, do Grupo Diário Associados, que faziam manifestação na porta da emissora por não terem recebido o décimo terceiro salário.

O capitão Flávio Santiago, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar, afirmou que a repórter foi presa por desobediência ao se recusar a deixar um perímetro de segurança necessário para a operação de retirada de moradores que estava em curso. Disse ainda que todos os jornalistas sabem que, nesses casos, a presença nesses locais é proibida. "Há uma área reservada para os repórteres, com estrutura, água".

Sobre as outras atuações da PM citadas pelo presidente do sindicato dos jornalistas, o capitão afirmou que, no caso das balas de borracha, foi um fato isolado.

"Tivemos várias outras manifestações desde 2013 e nada aconteceu". Em relação aos policiais do Batalhão de Choque convocados para a manifestação de repórteres da Alterosa, Flávio Santiago afirmou que a presença de grande número de homens já faz parte de estratégia para que não ocorram problemas em protestos.

FONTE: UOL Notícias

quarta-feira, 15 de junho de 2016

EBC pode estar com os dias contados!

EBC poderá ser extinta pelo governo Temer


O presidente Michel Temer está disposto a extinguir a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), como antecipou a coluna de Jorge Bastos Moreno deste sábado (11). Temer já recomendou um estudo para encerrar as atividades da emissora pública.

O fim da EBC tem apoio de Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo, e de Moreira Franco, secretário-executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). Desde que Dilma Rousseff foi afastada da presidência no dia 12 de maio, o comando da estatal responsável pela TV Brasil é disputado entre a petista e Temer. 

O interino chegou a demitir o jornalista Ricardo Melo da presidência da EBC, nomeado por Dilma pouco antes da aprovação do processo de impeachment pelo Senado, e a escalar o jornalista Laerte Rimoli para a presidência da empresa. No entanto, uma liminar do ministro Dias Toffoli, do STF, reconduziu Melo ao cargo na semana passada.

Rimoli, quando assumiu, fez demissões de quadros supostamente ligados ao PT, extinguiu o termo “presidenta” usado na gestão de Dilma e apontou mudanças na programação. Também cancelou dois contratos de parceria com a TV dos Trabalhadores, ligada à CUT. Ao retornar ao posto, Melo anunciou que vai revisar todos os atos tomados pelo antecessor.

Na última quinta-feira (9), a TV Brasil exibiu uma entrevista com Dilma feita pelo jornalista Luis Nassif. A veiculação estava até então suspensa por pressão de funcionários da empresa pública, também segundo o blog do Moreno. A EBC afirmou, contudo, que nunca houve qualquer impedimento. Também ressaltou que encaminhou solicitação de entrevistas, no mesmo formato, a Temer, ao presidente do Senado, Renan Calheiros, e ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.

Com informações do O Globo

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Rádio do Interior de Minas tem seu Arquivo Furtado!

Acervo de 3 mil discos é furtado em Poços de Caldas


A Polícia Civil investiga o furto de quase três mil discos de vinil do acervo da Rádio Libertas FM 99.3 (emissora que é controlada pela Prefeitura de Poços de Caldas). O caso ocorreu na última semana e parte dos discos furtados foram encontrados no lixo em frente ao Complexo Santa Cruz, onde funcionava a rádio. Algumas peças levadas são considerados relíquias por colecionadores e Djs.

A rádio existe na cidade há mais de quatro décadas. Até o início deste ano a sede da emissora ficava no Complexo Santa Cruz, porém o imóvel foi interditado no mês de abril e ela passou a funcionar em outro prédio, que não possui espaço físico para o acervo de cerca de oito mil discos. As peças em vinil permaneceram no antigo prédio. No entanto, criminosos invadiram o local e levaram quase três mil LPs.

O ex-diretor e radialista há mais de 30 anos, Pedro Bertozzi, fez um desabafo na internet. Para ele, o acervo da rádio – que é uma das mais antigas emissoras do país – tem muito mais do que valor financeiro. “Por que a mudança não foi simultânea, levando o acervo da discoteca junto? Ou seja, ficou num lugar em tese abandonado, como está hoje o Complexo Santa Cruz e quatro meses se passaram. Ficou ao Deus dará lá em cima. Isso é como rasgarmos um pedaço de história. Ainda que eu entenda que talvez exista um registro de forma digital hoje, registro digital não é acervo, no meu entendimento, acervo é algo palpável”, desabafou.

Os discos encontrados em frente ao Complexo Santa Cruz foram recolhidos e levados para a Delegacia de Polícia Civil de Poços de Caldas. Entre eles estão peças como álbuns de Jair Rodrigues, Roberto Carlos, Vinícius e Toquinho, entre outros. Todos os discos encontrados estão molhados e com mau cheiro, o que indica que eles ficaram expostos ao clima chuvoso dos últimos dias. Em alguns poucos exemplares, como um de Raul Seixas, é possível ver o selo da Rádio Libertas.

Em nota, a Prefeitura de Poços de Caldas informou que o acervo já foi todo retirado do Complexo Santa Cruz e agora está sendo catalogado, para que possa ser identificado quais foram os títulos roubados. Depois que ele for reorganizado, a direção da rádio deve abrir o local para a visitação pública.

A prefeitura informou ainda que está fazendo uma apuração interna e processos administrativos já foram abertos. Como o acervo da rádio já era digitalizado, a emissora não saiu do ar e também não teve a programação prejudicada. Questionada, a Polícia Civil informou que vai investigar quem pode ter furtado os discos.

Com informações do G1

segunda-feira, 6 de junho de 2016

NOVA FM Campinas

NOVABRASIL FM compõe a grade da Nova FM de Campinas


A Nova FM 103.7, novo projeto de rádio voltado ao segmento adulto-contemporâneo, já está no ar em Campinas. Conforme noticiado pelo Tudo Rádio, a novidade tomou a frequência campineira a partir do último sábado (4), chamando a atenção do mercado e da audiência local. Porém a NOVABRASIL FM também segue presente na 103.7 FM,  compondo parte da grade de programação da FM de Campinas em algumas faixas horárias, como na madrugada e também em programas específicos. Acompanhe:

Os programas “Nova Manhã” (06h00 às 08h00) e “Radar” (17h00 às 19h00) gerado pela NOVABRASIL FM 89.7 de São Paulo seguem na grade da Nova FM de Campinas. Durante as exibições das duas atrações que mesclam jornalismo e músicas, a 103.7 FM atuará como NOVABRASIL FM, além da faixa de programação da madrugada (entre 00h00 e 06h00). Esse formato seguirá até que a 103.7 FM tenha condições de assumir toda a grade de programação, já que a rádio campineira passa por mudanças em sua estrutura, além da alteração de seu projeto artístico.

A Nova FM de Campinas é uma nova rádio do segmento adulto-contemporâneo, que mescla MPB com hits internacionais. A programação é toda gerada a partir de Campinas, contando com os profissionais Will Dias (Mix FM 101.1 de Campinas), Marco Aurélio e Giu (ambos ex-Educadora FM 91.7 de Campinas). Giu também ficará responsável pela coordenação artística local e a direção é de Alexandre Hovoruski (profissional que está a frente da NOVABRASIL FM de São Paulo desde setembro passado).

Em caso de resultado positivo em Campinas, é possível que o novo projeto chamado “Nova FM” seja implantado nas demais praças da NOVABRASIL FM, mas não há data ou previsão para que a alteração ocorra. 

Já a bandeira da NOVABRASIL FM (que segue em São Paulo, Brasília, Salvador e no Recife) continua voltada exclusivamente à música brasileira, característica da rede desde 1º de junho de 2000. 

FONTE: Tudo Rádio

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Kaká Lilian Loy na Super Rádio AM

Lilian Loy na Super Rádio AM de São Paulo


A radialista, locutora e apresentadora Lilian Loy, dona de uma das vozes mais bonitas do rádio brasileiro, agora pode ser ouvida na Super Rádio (AM 1.150 kHz - São Paulo/SP).

Lilian Loy está no programa Kaká Siqueira, onde tem uma participação especial apresentando um quadro com as canções do Rei Roberto Carlos. Parabéns Lilian e bom retorno ao dial. E parabéns ao comunicador Kaká Siqueira, por contar em seu programa com essa grande profissional.

KAKÁ SIQUEIRA


Kaká Siqueira estreou na segunda-feira, dia 30 de maio, nas manhãs da Super Rádio. Ele está no ar das 5h às 9h, de segunda à sábado. No período da tarde, Kaká Siqueira segue nas ondas da Tropical FM (107,9 MHz - São Paulo/SP), das  13h às 17h.

Fonte: Bastidores do Rádio

Zulaiê Cobra deixa a Rádio Globo.

Zulaiê Cobra Ribeiro deixa a Rádio Globo SP 1100 AM


Na noite do último dia 30 de maio, em seu perfil no Facebook, a advogada Zulaiê Cobra Ribeiro, escreveu um comunicado sobre sua saída da Rádio Globo AM de São Paulo (1.100 kHz) onde apresentava o programa "A Hora é Agora", das 6h às 9h da manhã, ao lado de Rony Magrini.

"Agradeço a Deus por ter proporcionado maravilhosos momentos com os ouvintes da Radio Globo. Sinto-me profundamente realizada, emocionada e agradecida por tanto amor que recebi de pessoas do Brasil todo, durante estes dois anos e meio. Da mesma forma, agradeço todo profissionalismo, dedicação e generosidade de toda equipe, funcionários e direção da Rádio Globo, que possibilitaram esta realização de vida. Meu agradecimento ao meu estimado e competente parceiro Rony Magrini, com quem muito aprendi, como também a parceria com a talentosa Carol Goes. Sentirei saudades, mas volto para a Advocacia, que sempre foi a minha maior vocação. Meu abraço carinhoso a todos!"

Rony Magrini segue no comando da apresentação, mas precisou se ausentar por alguns dias do programa pois acompanhou de perto sua esposa numa cirurgia. Ele retornou ao programa nesta quinta-feira (02/06). 

Rezende Fora da EBC

Sidney Rezende deixa rádio do governo após um mês: "Fui rejeitado" 

A passagem do jornalista Sidney Rezende pela EBC (Empresa Brasil de Comunicação), gerida pelo governo federal, durou apenas um mês. O ex-âncora da GloboNews foi demitido na última sexta-feira (20), mesmo dia em que Laerte Rímoli foi nomeado diretor-presidente da instituição pelo presidente interino Michel Temer.
Procurado pelo UOL, Sidney Rezende revela ter ficado surpreso com a suspensão repentina de seu contrato. O profissional de 57 anos foi chamado para trabalhar na rádio Nacional, uma das mais antigas do país. Estreou no dia 4 o programa "Nacional Brasil", das 7h às 10h, e cuidou da programação matinal da estação. Após duas semanas, saiu do ar.

"Soube pela imprensa na sexta e começaram a me ligar. Entrei em contato e mandei telegrama, mas não responderam no fim de semana. Na segunda, a EBC me comunica a 'suspensão temporária de contrato', assinada pelo Laerte Rímoli. Preciso de uma definição para me empregar em outro lugar. Tiraram o programa do ar sem que eu soubesse", reclama.
A suspensão do contrato com Rezende foi o primeiro documento assinado por Rímoli na função de diretor-presidente da EBC, como mostra a carta, o que surpreendeu ainda mais o jornalista: "Fui pego de surpresa completamente. Não esperava porque o Laerte foi meu chefe na CBN. Imaginava que ele assumiria e se apresentasse, mas não houve nenhum contato".

Contratação controversa

Com 31 anos de profissão, Sidney Rezende implantou a CBN (Central Brasileira de Notícias), primeira rádio "all news" do Brasil, e integrou a equipe inaugural da GloboNews, primeiro canal de TV exclusivamente jornalístico.
Apesar da experiência, a ida de Rezende para EBC passou longe de ser uma unanimidade. Parte dos funcionários e membros do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal reprovaram a contratação por ser considerada "cara" e porque ele ingressou mediante convite, e não concurso público.
O jornalista esclarece quanto ganhou da empresa pública. Sua empresa, SR Ideias Assessoria de Comunicação, foi contratada por R$ 480 mil anuais, divididos em 12 parcelas mensais, mais R$ 27 mil de custos eventuais com viagens e hotelaria, totalizando R$ 507 mil, valor publicado no Diário Oficial da União. Após o cancelamento, deverá receber R$ 40 mil pelo único mês trabalhado.
"Todo mundo falou que ganhei R$ 1 milhão por mês. Achei injusta a cobertura da imprensa. Cadê a apuração? Se o governo não me quiser, tudo bem, é direito dele. Falei assim quando saí da Globo. Mas criar uma imagem inverídica me agride pessoalmente", critica.

Intolerância na internet

A falsa informação sobre o contrato com a EBC fez aumentar a intolerância e a quantidade de ofensas contra Rezende em seu site e nas redes sociais, a maioria "denunciando" que ele conseguiu entrar na empresa pública porque defendia o PT e o governo de Dilma Rousseff.

As críticas ao suposto "petismo" de Rezende começaram em novembro de 2015, quando ele foi demitido pela GloboNews após 18 anos. Na época, a dispensa foi atribuída a um texto publicado em seu blog em que criticava a cobertura jornalística de um possível impeachment da presidente.

"Não fui trabalhar no governo, não sou filiado ao PT. Sempre defendo isenção, pluraridade, democracia, liberdade de expressão, valores que acreditava antes, durante e acreditarei depois da EBC", afirma o jornalista, que apresentou somente 13 programas na rádio Nacional. "Azar o meu, 13 é PT", brinca.


Após a experiência ruim na EBC, Rezende, que começou a carreira em uma rádio pública (Roquette-Pinto), descarta voltar a trabalhar em empresas geridas pelo governo: "Nunca mais. Minha experiência e força de trabalho foram dados, eles me convidaram e aceitei. Acho que não tenho mais nada para contribuir. Fui rejeitado por patrões e parte dos empregados. Paciência".

Rede Mais Esportes

Rede Mais Esportes já é um sucesso no Rio de Janeiro Iniciada em janeiro deste ano, a “Rede Mais Esportes” já se consolidou no Rio de Ja...