terça-feira, 29 de agosto de 2017

Rádio ABC com uma nova programação.

 Rádio ABC de Santo André reforça sua programação com comunicadores famosos


Tendo em vista as "pouquíssimas" emissoras AM populares na cidade de SP com espaço para contratar nomes famosos da comunicação, a Rádio ABC de Santo André (AM 1.570 kHz), tradicional emissora no ABC paulista, encontrou uma maneira de reforçar a sua programação e manter a tradição do rádio AM.

Oferecendo boas condições comerciais aos comunicadores, a Rádio ABC anuncia a contração dos veteranos radialistas Paulo Barboza e Rony Magrini, ambos estreiam no dia 4 de setembro.

Paulo Barboza vai apresentar o seu programa das 14h às 17h.  Ele ainda segue apresentando seu programa na Super Rádio (AM 1.150 kHz), a partir das 8h da manhã. 

Rony Magrini que após quase 4 anos, deixou na sexta-feira (25/08) a Rádio Globo de SP, vai comandar a atração na Rádio ABC, das 11h às 14h. 

Outro importante nome na Rádio ABC é Kaká Siqueira, que já havia estreado no dia 14/08.

O “Show do Antônio Carlos” já soma mais de 260 mil ouvintes no horário do seu programa. Está com 50% a mais de audiência do que a segunda colocada.

ANTÔNIO CARLOS CONTINUA  LÍDER DE AUDIÊNCIA 



A direção da Super Rádio Tupi e os seus anunciantes estão eufóricos depois de tomar conhecimento dos números de audiência que colocam a emissora em primeiro lugar no ranking radiofônico do Rio de Janeiro. Completando, nesta terça-feira (29), três meses diante do microfone da Tupi, Antônio Carlos agradeceu à família Marinho por ter trabalhado na Rádio Globo, seu último empregador, mas foi impiedoso com a atual direção.

O Show do Antônio Carlos foi líder absoluto de audiência em seu horário desde que o programa começou na Rádio Globo, em 1987, e continua sendo agora na Tupi. No texto promocional que dizia quem era o comunicador campeão de audiência, a própria Rádio Globo reconhecia o talento do hoje adversário no seu material promocional, quando ele ainda integrava a rádio dos Marinho. Leia abaixo:

“É uma história de sucesso que vem de longe, do tempo em que o jovem Antônio Carlos aproveitava a acústica do banheiro de casa para ensaiar scripts do programa Gente Que Brilha, que ia ao ar na Rádio Nacional, no vozeirão de Paulo Roberto.

Mas o comunicador era fã mesmo de outra grande estrela da época, César de Alencar: “Era o meu ídolo. Gostava do jeito que ele falava, da forma como conduzia os seus programas. Foi nele que me inspirei”, revela, olhando para uma estrada que já tem mais de 55 anos de luta e experiência.

O carioca irrequieto, alegre e ativo, que sacode a audiência (…) de segunda a sexta-feira, cultiva esse jeito de ser desde o tempo da Brigada de Paraquedista, nos anos 50. Até hoje, o comunicador carismático não consegue viver sem a sua ginástica e as corridas na praia.

Queria fazer rádio e foi de uma garra impressionante para atingir este objetivo. Aluno do Instituto Lafayette, em frente à Igreja de São Sebastião, na Tijuca, jogava basquete e, por ter boa voz, foi convidado a entrar para um grupo de radioteatro amador. Não para ser ator, isso ele não tinha muito jeito para fazer, mas como narrador das peças.

Antônio Carlos ralou muito por um lugar ao sol. Seu início de carreira, em 1959, foi na Rádio Continental com a função de locutor-auxiliar. Lia mensagens comerciais ao vivo. Como gostava muito de jazz, usava um estúdio para produzir um quadro de jazz, na Rádio Metropolitana, que também pertencia ao Grupo ORB – Organizações Rubens Berardo.

Quando surgiu a TV Continental, canal 9, em 1960, ele foi pedir emprego a Dermival Costa Lima. O diretor perguntou o que ele sabia fazer. “Eu tenho um programa de jazz”, argumentou, exagerando. Afinal, era apenas um quadro. Dermival fez a contraproposta: “Jazz não é popular. Você vai fazer um programa de jazz e bossa nova. Começa na quinta-feira”. Antonio Carlos inaugurava ali uma nova etapa em sua vida profissional, produzindo, apresentando e dirigindo TV.

Trabalhou na nova Capital Federal, na recém-criada TV Brasília. Participou da fundação da TV Gaúcha. De volta ao Rio, passou pela TV Tupi, depois pela TV Tupi de São Paulo, e na produção de Sílvio Santos, então na TV Globo. Trabalhou na Rádio Roquette-Pinto, depois na Tupi e, em 1987, veio para a Rádio Globo, trazendo na bagagem o show que leva o seu nome.

Querido pelo público e companheiro de todas as manhãs, Antônio Carlos já foi homenageado com o seu nome batizando um páreo do Jóquei Clube Brasileiro. Também foi enredo da Escola de Samba Acadêmicos de Santa Cruz, vendo a sua vida ser cantada em prosa e verso no maior palco do mundo, o Sambódromo do Rio.

Não existe, porém, reconhecimento maior quando, diariamente, abre entrevistas com personalidades usando o seu tradicional “Acorda!” e, em troca, só ouve elogios.”

Para quem leu o texto acima com rasgados elogios, não é novidade que agora na Tupi Antônio Carlos prossiga sua trajetória de sucesso. A novidade é ouvi-lo falar tão abertamente sobre os concorrentes. Ao SRzd, há pouco mais de 3 meses ele dizia que bastaria estrear na nova casa que “venceria a Globo”. E  venceu, mesmo!

Por Sidney Rezende 

A VOZ DO BRASIL

Morre João Marques, locutor de "A Voz do Brasil"

Foto: Divulgação

Morreu nesta sexta-feira (25) João Marques, uma das vozes mais conhecidas de A Voz do Brasil, programa que começou a apresentar em 1974. Foi um dos grandes locutores do país e do início do rádio em Brasília. O radialista mudou-se do Rio de Janeiro para a capital federal em 1961 e passou por diversas emissoras, como a Nacional, a Educadora, a Alvorada e a Rádio Senado, onde atuou até 2009.

João Marques apresentou o Jornal do Senado, dentro do programa A Voz do Brasil, pela primeira vez em 1974. Ficou 35 anos como titular do posto. Com a criação da Rádio Senado, em 1997, liderou o time de locutores da emissora.Também emprestou sua voz marcante a diversos programas premiados da Rádio Senado, como o Brasil 500 anos.

O primeiro diretor da Rádio Senado, Silvio Hauagen, lembra que João Marques foi o responsável pela primeira transmissão da emissora, em 29 de janeiro de 1997. “O João Marques foi a primeira voz a surgir na programação da Rádio Senado. João Marques é um nome que dispensa maiores comentários, conhecido nacionalmente. Não há quem desconheça a voz do João Marques”, disse.

Tendo se aposentado em 2003 como servidor efetivo do Senado, não demorou muito para que João Marques voltasse a comandar A Voz do Brasil, desta vez como terceirizado. O afastamento definitivo só veio mesmo em 2009, com a realização de concurso público na área de locução para a Rádio Senado. Naquela ocasião, João Marques saudou os novos locutores concursados que tomavam posse.

“Gente, vocês estão fazendo a partir de agora aquilo que eu sempre sonhei, ser locutor de rádio. Eu agradeço muito a Deus por ter tido essa oportunidade nessa empreitada. Parabéns!”, disse ele.

A diretora da Secretaria de Comunicação Social do Senado (Secom), Angela Brandão, lamentou o falecimento do locutor em nota de pesar e registrou sua contribuição como servidor e locutor da emissora.

“Mesmo aposentado do Senado Federal, João Marques continuou trabalhando na Casa até 2009, exercendo sempre com brilhantismo e competência a apresentação de programas jornalísticos e culturais. Uma personalidade inteligente, afável e gentil, Joãozinho, como era carinhosamente chamado pelos colegas, vai deixar uma saudade enorme em todos aqueles que tivemos a oportunidade de com ele conviver. É uma perda irreparável para o Rádio no Brasil.”, afirmou Angela.

João Marques morreu aos 84 anos. Ele estava internado por conta de uma pneumonia e teve um infarto nesta sexta-feira (25).

FONTE: GAZETA DO POVO

sábado, 5 de agosto de 2017

Rede Mais Esportes

Rede Mais Esportes já é um sucesso no Rio de Janeiro



Iniciada em janeiro deste ano, a “Rede Mais Esportes” já se consolidou no Rio de Janeiro. Com profissionais rodados em grandes veículos de comunicação e novos nomes, a “Rede Mais Esportes” chama atenção do público pela qualidade do produto oferecido ao ouvinte.




Sem reinventar o jeito de fazer rádio esportivo, a equipe mostra que o simples ainda faz sucesso. A mais jovem equipe de rádio carioca conta com nomes como Kadu Macri (ex- Esporte Interativo, Bradesco FM); Cassiano Carvalho, Joel Silva e Victor Mendes (Ex- Tupi); Jorge Ferreira (ex- Tupi, Manchete); Ricardo Oliveira e João Santoro (ex-Manchete). A equipe ainda tem Vinicius Gama, conhecido no meio como “o melhor plantão do Brasil”. O narrador Leandro Pereira, os comentaristas Rodrigo Coutinho e Gabriel Gontijo e o repórter Antônio Junior fecham o time.

A “Rede Mais Esportes” segue o padrão de horários e programação esportivas das grandes rádios. De segunda à sexta-feira, das 20 às 21hs é possível acompanhar as informações do futebol no programa “Mais Esportes” com a apresentação de Cassiano Carvalho e comentários de Rodrigo Coutinho.

Aos sábados às 15hs, Kadu Macri comanda o “Debate Mais”. O programa conta com os comentaristas da rede e sempre recebe um convidado especial.

Aos domingos, de 13 às 15hs, Victor Mendes comanda o “Balanço”. O programa conta com a participação do comentarista Rodrigo Coutinho. Os dois projetam os jogos do domingo, recebendo os setoristas dos times espalhados pelo Brasil. Além de muita informação, o programa esquenta a hora do almoço com os sucessos do momento.

É claro que a “Rede Mais Esportes” transmite os principais jogos dos times do Rio de Janeiro. Um dos coordenadores do projeto, Michel Menaei é também o responsável pela qualidade do som nas transmissões esportivas ao lado do “mago da visão” João Cardoso.

A Rede Mais Esportes pode ser ouvida de várias maneiras:

Rádio Mais Carioca;
Rádio Catuca;
Rádio Alternativa Mais FM 99.1MHz em São João de Meriti;
Pop Rio FM 98,7MHz (Zona Sul);
Itaipava FM 98,7MHz (Região Serrana).

por:Rádio de Verdade.

Dudu Camargo!

Dudu Camargo deixa a Super Rádio O site Notícias da TV, do jornalista Daniel Castro, publicou na manhã desta terça-feira a notícia da d...